arquivo

Belém histórica

Na noite de sabado 28 de janeiro a residência Vitor Maria da Silva, no Ferro de Engomar, o maior conjunto de azulejos “Belle Époque” de Belém foi criminosamente e violentado, estuprado, saqueado. Veja as fotos feitas pelo Luis Laguna, com o seu celular, na ação tipo Occupy dos quixotes do Fórum Landi e da Fotoativa que invadiram a casa, pulando por uma janela lateral e afugentaram os integrantes da tal “gang do azulejo” que rouba e vende para colecionador inescrupuloso e antiquário.

Continue lendo no blog do Prof. Flávio Nassar.

Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"
Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"

Siza: Júlio e Álvaro, a set on Flickr.

A exposição ‘Siza: Júlio e Álvaro’ [Junho de 2008] trouxe a Belém, pela primeira vez, projetos do arquiteto português Álvaro Siza, um dos grandes nomes da arquitetura contemporânea. A mostra contou com mais de 20 projetos expostos na sede do Fórum Landi, além de fotografias feitas pelo bisavô do arquiteto, Júlio Siza, que morou em Belém no século passado.

A Capela Pombo [Séc. XVIII], de autoria do italiano Antonio Landi, está novamente sob ameaça de venda. No dia do aniversário de 396 anos de Belém, lançamos este crowdfunding, coordenado por nós, Fórum Landi, e com apoio da Universidade Federal do Pará, que pretende unir forças no sentido de arrematar esse patrimônio histórico de valor inestimável ao povo paraense, situado na Travessa Campos Sales, entre as Ruas Manoel Barata e 13 de Maio, no Bairro do Comércio.

Se não tomarmos uma atitude imediatamente, teremos de nos contentar com a dúvida: quem irá comprá-la? E o que será feito dela? Vamos ficar esperando pra ver ou vamos nos mobilizar, enquanto sociedade civil, pressionando o Governo a comprar essa briga a nosso lado

Teremos seis meses pra arrecadar o valor total – nunca antes um crowdfunding no Brasil chegou a tanto, R$ 1.000.000,00. Crowdfunding, em miúdos, nada mais é do que um financiamento coletivo, em que todos participam comprando pequenas cotas e se tornando sócios do projeto.

Aqui, um bom negociante é fundamental: mesmo não conseguindo o valor total, ao menos ganharemos legitimidade pra negociar com o atual proprietário. Vamos procurá-lo com o montante arrecadado numa mala preta – in cash sempre tem desconto, né? Caso não haja acordo, os doadores receberão os valores de volta, não se preocupem. Também correremos atrás de grandes patrocinadores, é claro.

No fim, o que vale é o diálogo. O boca a boca. A mobilização da sociedade, demonstrando estar disposta a preservar o patrimônio que lhe é de direito, em outros tempos sempre aberto a quem fosse.

A contrapartida? Uma vez arrematada, a Capela Pombo seria restaurada e preservada pela UFPA, através do Fórum Landi, e suas portas seriam permanentemente abertas ao grande público. Quer contrapartida melhor do que essa? Impossível. Além disso, porém, o nome dos doadores constarão em ordem alfabética em uma placa no interior da capela, após o restauro.

Vamos todos participar e dar um presente significativo e condizente com a magnitude de uma cidade como Belém!

Contribua aqui!

E siga-nos no twitter pra ficar por dentro de todos os detalhes: @forumlandi

Alguém sabe adivinhar onde a fotografia acima foi tirada? Não podemos revelar o autor dos retratos, mas a fonte foi o blog do Prof. Flávio Nassar.

Quem disse Palacete Pinho, miraculosamente acertou. Dá pra imaginar que, por detrás da bela fachada, não há nada além de cômodos vazios? E instalações mal-ajambradas:

No blog do Prof. Nassar há mais imagens do belíssimo trabalho de nosso prefeito Duciomar Costa [muita ironia nessa hora], uma casca de ovo das mais bonitas – e o próprio Prof. Nassar cantou a bola, faz um ano.

Tipicamente pra inglês ver, do jeitinho que o povo gosta. Mas, opa. Quem disse que o povo gosta? Vocês gostam, povo? Achamos que não.

O que temos pra comemorar amanhã, então? Alguma dica? Quem adivinha?

Nossa bela Praça da Trindade, hoje tão acabadinha, observando-se o quadrilátero fronteiro à então Faculdade de Direito, no começo do século XX.

 

 

Entrevista com o poeta, musicólogo, folclorista, Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Pará, doutor das coisas do mundo, o paraense Vicente Salles, concedida à equipe de comunicação do Fórum Landi. Belém, Pará: Dezembro/2011.

Rua 15 de novembro, esquina com a Travessa Campos Sales. No primeiro plano, destaca-se o edifício da então seguradora Garantia Amazônia, em plena Belle Époque.

%d blogueiros gostam disto: