Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"
Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"Exposição "Siza: Júlio e Álvaro"

Siza: Júlio e Álvaro, a set on Flickr.

A exposição ‘Siza: Júlio e Álvaro’ [Junho de 2008] trouxe a Belém, pela primeira vez, projetos do arquiteto português Álvaro Siza, um dos grandes nomes da arquitetura contemporânea. A mostra contou com mais de 20 projetos expostos na sede do Fórum Landi, além de fotografias feitas pelo bisavô do arquiteto, Júlio Siza, que morou em Belém no século passado.

Haroldo de Campos

O polêmico post do professor Flávio Nassar (Pró-reitor em flagrate delito desrespeita direito autoral), deu o que falar.

A resposta ao email pessoal de Paulo Vergolino, produtor executivo da amostra “Oswald Goeldi: Poesia Gravada”, veio ontem (19/01), e o desabafo do Pró-Reitor, você pode ver aqui.

O projeto, apresentado pelo Instituto de Patrimônio Histórico Cultural Nacional (IPHAN), está orçado em R$ 4.189.103,03, valor que será patrocinado pela Vale, com recursos da Lei de Incentivo à Cultura (Rouanet). O recurso para a realização da obra já foi depositado à Arquidiocese de Belém. Agora a Vale abrirá processo licitatório para contratar a empresa que fará a reforma, coordenada pela Igreja de Belém em parceria com a superintendência regional do Iphan. “É bom que essa reforma aconteça em uma data como esta. Afinal, esta igreja é uma referência da cultura e da arte sacra”, declarou o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa.”. A Vale precisa de Lei de incentivo, pelo que sei já paga uma insignificância de impostos, para bancar seus projetos culturais, outra coisa por que não patrocina projetos culturais via edital como todos os grandes patrocinadores do país. O Fórum Landi precisa estar inserido neste projeto assim como a CiVIVA para dar transparência ao processo de restauro. Espero que o projeto inclua em seu projeto ações de cidadania e educação patrimonial no entorno, principalmente com crianças e adolescentes em situação de risco.

Continue lendo o texto de Ramiro Quaresma em Xumucuís.

A Capela Pombo [Séc. XVIII], de autoria do italiano Antonio Landi, está novamente sob ameaça de venda. No dia do aniversário de 396 anos de Belém, lançamos este crowdfunding, coordenado por nós, Fórum Landi, e com apoio da Universidade Federal do Pará, que pretende unir forças no sentido de arrematar esse patrimônio histórico de valor inestimável ao povo paraense, situado na Travessa Campos Sales, entre as Ruas Manoel Barata e 13 de Maio, no Bairro do Comércio.

Se não tomarmos uma atitude imediatamente, teremos de nos contentar com a dúvida: quem irá comprá-la? E o que será feito dela? Vamos ficar esperando pra ver ou vamos nos mobilizar, enquanto sociedade civil, pressionando o Governo a comprar essa briga a nosso lado

Teremos seis meses pra arrecadar o valor total – nunca antes um crowdfunding no Brasil chegou a tanto, R$ 1.000.000,00. Crowdfunding, em miúdos, nada mais é do que um financiamento coletivo, em que todos participam comprando pequenas cotas e se tornando sócios do projeto.

Aqui, um bom negociante é fundamental: mesmo não conseguindo o valor total, ao menos ganharemos legitimidade pra negociar com o atual proprietário. Vamos procurá-lo com o montante arrecadado numa mala preta – in cash sempre tem desconto, né? Caso não haja acordo, os doadores receberão os valores de volta, não se preocupem. Também correremos atrás de grandes patrocinadores, é claro.

No fim, o que vale é o diálogo. O boca a boca. A mobilização da sociedade, demonstrando estar disposta a preservar o patrimônio que lhe é de direito, em outros tempos sempre aberto a quem fosse.

A contrapartida? Uma vez arrematada, a Capela Pombo seria restaurada e preservada pela UFPA, através do Fórum Landi, e suas portas seriam permanentemente abertas ao grande público. Quer contrapartida melhor do que essa? Impossível. Além disso, porém, o nome dos doadores constarão em ordem alfabética em uma placa no interior da capela, após o restauro.

Vamos todos participar e dar um presente significativo e condizente com a magnitude de uma cidade como Belém!

Contribua aqui!

E siga-nos no twitter pra ficar por dentro de todos os detalhes: @forumlandi

Alguém sabe adivinhar onde a fotografia acima foi tirada? Não podemos revelar o autor dos retratos, mas a fonte foi o blog do Prof. Flávio Nassar.

Quem disse Palacete Pinho, miraculosamente acertou. Dá pra imaginar que, por detrás da bela fachada, não há nada além de cômodos vazios? E instalações mal-ajambradas:

No blog do Prof. Nassar há mais imagens do belíssimo trabalho de nosso prefeito Duciomar Costa [muita ironia nessa hora], uma casca de ovo das mais bonitas – e o próprio Prof. Nassar cantou a bola, faz um ano.

Tipicamente pra inglês ver, do jeitinho que o povo gosta. Mas, opa. Quem disse que o povo gosta? Vocês gostam, povo? Achamos que não.

O que temos pra comemorar amanhã, então? Alguma dica? Quem adivinha?

Leia aqui nosso newsletter de fim de ano. A todos, uma Feliz Belém de Landi em 2012!

Hoje, o ato de fotografar e depois blogar, tuitar ou feicebucar, faz parte de nosso processo cognitivo, ou, pelo menos, de memorização. Só ver não basta, a câmera do celular, quase já universalizada, é extensão do olho e da memória, registra, armazena e distribui.

Foram proibir logo nosso coordenador multimídia [e Pró-Reitor da UFPA] Prof. Flávio Nassar de tirar suas fotografias… Nassar registrava a exposição Poesia Gravada, de Oswald Goeldi, no Museu da UFPA, quando lhe pediram pra que embainhasse o celular.

O resto da história continua aqui.

%d blogueiros gostam disto: